Notícias

Postado em 08 de Dezembro de 2017 às 10h12

Receita com vendas externas de carne suína cresce 16% no ano

Com mais milho disponível no mercado, a suinocultura brasileira teve à disposição insumos mais baratos para um ano de retomada, segundo o relatório técnico da Expedição Suinocultura. O setor deve fechar 2017 com desempenho positivo principalmente em renda. Segundo o documento, somente a receita com exportação vai crescer 15,9%, passando de US$ 1,4 bilhão em 2016 para US$ 1,7 bilhão este ano. A rentabilidade para o produtor também melhorou ao longo do ano.

“A redução na oferta global de carne suína afetou as cotações, o que favoreceu o produto brasileiro. O volume de embarques permanece estável em 2017, devendo acumular alta de quase 1% em relação a 2016, mas estamos ganhando mais por tonelada exportada”, disse o gerente do Núcleo de Agronegócio Gazeta do Povo e coordenador da Expedição Suinocultura, Giovani Ferreira, em nota divulgada na quarta-feira (06).

E o faturamento não melhorou apenas para a indústria. Levantamento realizado pelo projeto técnico-jornalístico aponta que o preço médio pago por quilo ao produtor subiu de R$ 3,25 no ano passado para R$ 3,83 este ano. “Em todos os estados visitados, percebemos que os suinocultores estão mais otimistas e satisfeitos com os resultados. Ao contrário do que ocorreu ano passado, quando muitos deixaram a atividade devido à alta nos custos de produção”, explicou Ferreira.

Para construir o diagnóstico, a Expedição Suinocultura visitou granjas, indústrias, cooperativas e entidades representativas do setor no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso.

Foram mais de 20 mil quilômetros percorridos entre setembro e outubro deste ano. Todos os detalhes dos roteiros de campo e informações sobre produção e mercado estão disponíveis no relatório técnico desta edição, que pode ser acessado gratuitamente no link: clique aqui.

Fonte: Carnetec

Veja também

Frigoríficos de MT têm alta na utilização de capacidade em 201828/02/18 Frigoríficos de carne bovina mato-grossenses iniciaram 2018 com aumento no uso da capacidade e elevação dos abates, segundo informações divulgadas pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) nesta semana. O aumento na oferta de animais motiva o crescimento do abate no estado, com alta no número de fêmeas abatidas em relação......
Filipinas reabre mercado para carnes do Brasil30/11/17 O mercado das Filipinas foi aberto às carnes de frango, suína e bovina do Brasil na sexta-feira (24), segundo informações da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). As vendas de carnes do Brasil......

Voltar para Notícias (pt)