21 A 23
DE SETEMBRO DE 2021

Das 14h às 20h

Pavilhão de Exposições Anhembi - São Paulo/SP

Notícias

Postado em 29 de Março às 17h25

Marfrig avança em rastreamento de fornecedores, pode zerar emissões até 2040

Notícias do Setor (435)Releases da Feira (166)
EXPOMEAT 2021 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal Conheça outras notícias do setor: www.carnetec.com.br A Marfrig Global Foods tem avançado no rastreamento de seus...

Conheça outras notícias do setor: www.carnetec.com.br

A Marfrig Global Foods tem avançado no rastreamento de seus fornecedores de gado e vê a possibilidade de zerar seu balanço de emissões de gases do efeito estufa até 2040, informou o diretor de comunicação e sustentabilidade da empresa, Paulo Pianez, em evento on-line promovido pela empresa na quarta-feira (24).

A segunda maior processadora de carne bovina do Brasil identificou até agora 62% dos fornecedores de gado na Amazônia, considerando os diretos e indiretos, e 47% no Cerrado.

A meta estabelecida pelo programa Marfrig Verde+, anunciado pela Marfrig em meados do ano passado, é atingir total rastreabilidade da cadeia de fornecimento na Amazônia até 2025 e rastrear 100% do Cerrado e demais biomas até 2030.

A Marfrig anunciou em julho do ano passado que investiria R$ 500 milhões em ações de sustentabilidade e rastreamento visando zerar o desmatamento.

Pianez disse ainda que a Marfrig poderá zerar o seu balanço de emissões de gases causadores do efeito estufa até 2040.

“A gente tem absoluta certeza que a Marfrig vai ser net zero entre 2035 e 2040”, disse Pianez em evento para divulgar os avanços da estratégia Marfrig Verde+.

Segundo ele, a Marfrig tinha a ambição de zerar o balanço de emissões de gases do efeito estufa até 2050, embora esta não seja uma meta formal da companhia. A intenção é reduzir emissões diretas das operações e as relacionadas ao uso de energia elétrica em 43% e as emissões indiretas em até 35% em 2035.

Mas Pianez acredita que a empresa poderá antecipar a ambição de zerar as emissões.

“À medida que identificamos os fornecedores, a gente vê que a nossa ambição pode ser antecipada, mas não temos uma meta estabelecida ainda”, disse o executivo durante coletiva de imprensa.

No Brasil, 80% da energia elétrica utilizada pela Marfrig vem de fontes renováveis e a empresa está trabalhando para ampliar o uso destas fontes globalmente, segundo o executivo.

Fonte: CarneTec
Veja outras noticias do setor www.carnetec.com.br

Veja também

Mercado de suínos aquecido e com cotações subindo27/10/20 As cotações no mercado de suínos continuaram em ascensão ontem, terça-feira (20). De acordo com análise do Cepea/Esalq, a oferta ainda restrita de animais em peso ideal para abate e o incremento na demanda por parte de frigoríficos seguem elevando os valores do suíno vivo nestas primeiras semanas de outubro. Em São Paulo, segundo a Scot Consultoria,......
Exportações de carne bovina sobem 21% em maio09/06/20 As exportações brasileiras de carne bovina subiram 21% em maio, na comparação com o mesmo mês do ano passado, chegando a 183 mil toneladas, segundo informações compiladas pela Associação Brasileira......

Voltar para Notícias (pt)