Notícias

Postado em 20 de Dezembro de 2017 às 08h54

Custos de produção de frangos e suínos voltam a subir em novembro, caem no ano

Os custos de produção de suínos e aves calculados pela Central de Inteligência de Aves e Suínos (Cias) da Embrapa apresentaram alta em novembro, diante do aumento nos custos de grãos usados para nutrição animal, divulgou a Cias na segunda-feira (18).

O índice que mede o custo de produção de suínos, ICPSuíno/Embrapa, aumentou 2,05% em novembro ante outubro, e fechou em 198,98 pontos, no quarto mês seguido de alta, impactado principalmente pela alta do milho.

“Este cereal teve o preço aumentado em 3,06% em relação ao mês anterior”, disse o analista de socioeconomia da Embrapa Suínos e Aves, Ari Jarbas Sandi, em nota.

“O farelo de soja também aumentou consideravelmente em Santa Catarina, passando de R$ 1.170 por tonelada em outubro para R$ 1.200 por tonelada em novembro. Um acréscimo de 2,56%.”

O custo de produção do quilo de suíno vivo em ciclo completo em Santa Catarina, principal estado brasileiro produtor de suínos, ficou em R$ 3,48 em novembro.

Já o ICPFrango/Embrapa teve alta de 0,73% em novembro, para 184,51 pontos. O custo de produção de frango de corte no Paraná, estado com maior produção de frangos no Brasil, fechou novembro em R$ 2,38 por quilo vivo. A alta do custo do ICPFrango foi mais comedida porque há maior disponibilidade de milho no Paraná, segundo principal produtor brasileiro deste grão e que está próximo a outras regiões produtoras.

“O Paraná fornece milho suficiente para abastecer as cadeias produtivas de frangos de corte e de suínos e, se não bastasse isto, o setor produtivo destas carnes ocupa posição estratégica na geografia paranaense”, disse Jarbas Sandi.

“Se o Paraná precisar de grãos além do que produz, para fornecer às cadeias produtivas das carnes citadas, ele está próximo de Mato Grosso do Sul, terceiro maior produtor nacional de milho e logisticamente muito mais próximo das indústrias de rações situadas no Paraná do que aquelas situadas em Santa Catarina. Além disso, o Paraná faz fronteira com outros dois países igualmente estratégicos para o fornecimento de insumos à produção, o Paraguai e a Argentina.”

Nos primeiros 11 meses de 2017, o ICP/Frango acumula queda de 12,44% e o ICP/Suíno de -9,38%.

Fonte: Cias/Embrapa

Produção menor de milho
O aumento nos custos de grãos neste fim de ano e no início do ano que vem já era esperado por representantes da indústria de carnes, com base nas estimativas de que a safra do milho no Brasil em 2018 será menor que a verificada neste ano.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou na semana passada que a produção de milho brasileira deve chegar a 92,2 milhões de toneladas no ano que vem, em comparação com 97,8 milhões de toneladas na safra 2016/17.

Analistas do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) afirmaram em nota divulgada no website da entidade na segunda-feira (18) que as estimativas da Conab influenciam a firmeza nos preços internos do grão. O Indicador ESALQ/BM&FBovespa para o milho na região de Campinas (SP) avançou 2,4% entre 8 e 15 de dezembro, para R$ 32,36/saca de 60 quilos.

Fonte: Cias/Embrapa/Carnetec

Veja também

Prêmio CARNE FORTE reconhece os melhores da cadeia produtiva de proteína animal 09/05/17 Premiação acontecerá na EXPOMEAT e promete se tornar um referencial de boas práticas no processamento de proteína animal da América Latina O Prêmio CARNE FORTE vem para se tornar um reconhecimento anual da EXPOMEAT, voltado para as personalidades mais importantes da cadeia produtiva de proteína animal, na opinião de um grupo de indicadores formado......
Santa Catarina segue com crescimento nas exportações de carnes13/09/17 As exportações catarinenses de carnes seguem em alta e o acumulado do ano já supera o mesmo período de 2016. De janeiro a agosto, o faturamento com as exportações de carne suína e de frango já ultrapassa......

Voltar para Notícias (pt)