Notícias

Postado em 20 de Dezembro de 2017 às 08h54

Custos de produção de frangos e suínos voltam a subir em novembro, caem no ano

Os custos de produção de suínos e aves calculados pela Central de Inteligência de Aves e Suínos (Cias) da Embrapa apresentaram alta em novembro, diante do aumento nos custos de grãos usados para nutrição animal, divulgou a Cias na segunda-feira (18).

O índice que mede o custo de produção de suínos, ICPSuíno/Embrapa, aumentou 2,05% em novembro ante outubro, e fechou em 198,98 pontos, no quarto mês seguido de alta, impactado principalmente pela alta do milho.

“Este cereal teve o preço aumentado em 3,06% em relação ao mês anterior”, disse o analista de socioeconomia da Embrapa Suínos e Aves, Ari Jarbas Sandi, em nota.

“O farelo de soja também aumentou consideravelmente em Santa Catarina, passando de R$ 1.170 por tonelada em outubro para R$ 1.200 por tonelada em novembro. Um acréscimo de 2,56%.”

O custo de produção do quilo de suíno vivo em ciclo completo em Santa Catarina, principal estado brasileiro produtor de suínos, ficou em R$ 3,48 em novembro.

Já o ICPFrango/Embrapa teve alta de 0,73% em novembro, para 184,51 pontos. O custo de produção de frango de corte no Paraná, estado com maior produção de frangos no Brasil, fechou novembro em R$ 2,38 por quilo vivo. A alta do custo do ICPFrango foi mais comedida porque há maior disponibilidade de milho no Paraná, segundo principal produtor brasileiro deste grão e que está próximo a outras regiões produtoras.

“O Paraná fornece milho suficiente para abastecer as cadeias produtivas de frangos de corte e de suínos e, se não bastasse isto, o setor produtivo destas carnes ocupa posição estratégica na geografia paranaense”, disse Jarbas Sandi.

“Se o Paraná precisar de grãos além do que produz, para fornecer às cadeias produtivas das carnes citadas, ele está próximo de Mato Grosso do Sul, terceiro maior produtor nacional de milho e logisticamente muito mais próximo das indústrias de rações situadas no Paraná do que aquelas situadas em Santa Catarina. Além disso, o Paraná faz fronteira com outros dois países igualmente estratégicos para o fornecimento de insumos à produção, o Paraguai e a Argentina.”

Nos primeiros 11 meses de 2017, o ICP/Frango acumula queda de 12,44% e o ICP/Suíno de -9,38%.

Fonte: Cias/Embrapa

Produção menor de milho
O aumento nos custos de grãos neste fim de ano e no início do ano que vem já era esperado por representantes da indústria de carnes, com base nas estimativas de que a safra do milho no Brasil em 2018 será menor que a verificada neste ano.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou na semana passada que a produção de milho brasileira deve chegar a 92,2 milhões de toneladas no ano que vem, em comparação com 97,8 milhões de toneladas na safra 2016/17.

Analistas do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) afirmaram em nota divulgada no website da entidade na segunda-feira (18) que as estimativas da Conab influenciam a firmeza nos preços internos do grão. O Indicador ESALQ/BM&FBovespa para o milho na região de Campinas (SP) avançou 2,4% entre 8 e 15 de dezembro, para R$ 32,36/saca de 60 quilos.

Fonte: Cias/Embrapa/Carnetec

Veja também

Alegra Foods é destaque na adoção de sustentabilidade26/01 Com cerca de mil integrantes, a fabricante de carnes suínas Alegra Foods vem se mostrando como referência na adoção da sustentabilidade em sua gestão. A marca foi apontada pela Bússola da Sustentabilidade, estudo desenvolvido pelo Sistema Fiep (Federação das Indústrias do Estado do Paraná) que mensura a sustentabilidade nas indústrias, como......
MAREL é expositora confirmada na feira EXPOMEAT11/04/17   “Estamos muito animados com a ExpoMeat 2017. É uma importante oportunidade para apresentar aos nossos clientes os últimos desenvolvimentos e estreitar as parcerias de negócio. Confiamos também na experiência......

Voltar para Notícias (pt)