EXPOMEAT
É ADIADA PARA 2022

Em breve divulgaremos a nova data que está sendo negociada junto ao Pavilhão de Exposições Anhembi

Notícias

Postado em 06 de Dezembro de 2017 às 13h59

CNA vê alta na produção de carne de aves em 2018; consumo em 44 kg/hab em 2017

EXPOMEAT 2022 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), entidade que representa os produtores rurais, estima que a...

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), entidade que representa os produtores rurais, estima que a produção nacional de carne de aves aumente entre 1% e 4% em 2018, para 13,38 milhões a 13,78 milhões de toneladas, segundo números apresentados na terça-feira (05).

Já as exportações do produto devem situar-se entre 4,04 milhões e 4,16 milhões de toneladas no ano que vem.
A CNA estima que o consumo doméstico de carne de frango deva fechar 2017 em 44 kg por habitante, com potencial de leve crescimento em 2018.

A entidade avalia que o setor avícola brasileiro foi afetado negativamente pelos efeitos da Operação Carne Fraca da Polícia Federal, que reduziu a demanda internacional pelo produto momentaneamente.
“A queda das exportações de março a junho comprometeu o crescimento da produção nacional e da receita, que só não foi agravada devido à valorização do preço de venda das carnes no mercado internacional”, informou a CNA via apresentação divulgada em seu website.

A entidade estima um crescimento de 1% na produção e no volume de exportações de carne de frango em 2017.

Após um período de queda no preço do milho em 2017, principal insumo para nutrição de aves e suínos, uma nova tendência de elevação de preços é esperada para o ano que vem, como consequência dos impactos do fenômeno climático “La Niña” na produção de grãos, da redução da área plantada prevista para o milho e das estimativas de aumento das exportações deste grão.

“As cotações poderiam atingir patamares que comprometem a rentabilidade da atividade...Logo, suinocultores e avicultores devem ficar atentos para realizarem boas aquisições do insumo”, avalia a CNA.

A produção de carne suína em 2018 poderá ficar entre estável a registrar alta de até 4%, na comparação com este ano, totalizando entre 3,72 milhões e 3,75 milhões de toneladas, segundo os números da CNA.

As exportações do setor devem ficar entre 810 mil e 830 mil toneladas. O consumo per capita de 14 kg esperado para 2017 deve manter-se no ano que vem.

Apesar dos efeitos negativos da Operação Carne Fraca nas exportações do setor de carnes, a tendência de valorização do dólar em relação ao real pode colaborar para que as carnes brasileiras ganhem competitividade nos mercados internacionais em 2018, o que daria suporte para esses crescimentos de até 4% nos volumes de produção e exportações.

“O acesso a novos mercados, como o da Coreia do Sul para nossa carne suína, e a retomada das exportações de frango para a Indonésia também contribuirão para as exportações dos setores”, acrescentou a entidade.

Fonte: Carnetec

Veja também

A confiança na indústria da carne01/09/20 A Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) e a Comissão Central Organizadora da MERCOAGRO (Feira Internacional de Negócios, Processamento e Industrialização da Carne), programada para março de 2021, manifestam publicamente seu apoio e confiança na indústria de processamento de proteína animal de Santa Catarina e do......
Empresas vão investir R$ 160 milhões em Maringá e Cianorte10/12/18 A Avenorte Avícola, de Cianorte, e a FA Maringá, de Maringá, confirmaram novos investimentos para o Noroeste do Estado por meio de incentivos do programa Paraná Competitivo. O protocolo de intenções foi assinado nesta......

Voltar para Notícias (pt)