21 A 23
DE SETEMBRO DE 2021

Das 14h às 20h

Pavilhão de Exposições Anhembi - São Paulo/SP

Notícias

Postado em 28 de Abril às 15h34

Demanda asiática sustenta ritmo de produção de carne suína brasileira

Notícias do Setor (228)
EXPOMEAT 2021 O ritmo de produção de carne suína brasileira neste ano está similar àquele observado há um ano, e até superior em algumas regiões, impulsionado pela forte demanda chinesa,...

O ritmo de produção de carne suína brasileira neste ano está similar àquele observado há um ano, e até superior em algumas regiões, impulsionado pela forte demanda chinesa, informou o Rabobank em relatório na segunda-feira (27).

Frigoríficos exportadores de carne suína continuam lucrativos dada a crescente demanda asiática e a desvalorização do real brasileiro, tornando o produto mais competitivo. Já os processadores de carne suína que vendem apenas para o mercado doméstico enfrentam dificuldades por conta da redução do consumo pelo segmento de restaurantes, como resultado das medidas de isolamento social para conter o coronavírus.

No estado de São Paulo, o principal afetado pela pandemia até agora, o Rabobank estima que o consumo em bares e restaurantes caiu 44% entre o fim de março e a segunda semana de abril. Já as vendas do segmento de varejo aumentaram 19%.

Apesar do cenário negativo no mercado doméstico, o Rabobank espera que a demanda asiática e o real desvalorizado continuem a gerar oportunidades para os frigoríficos exportadores brasileiros.

“Uma planta adicional de carne suína aguarda aprovação do governo chinês, o que deve ser anunciado até o fim deste ano”, acrescentaram os analistas do Rabobank no relatório.

Para os produtores de suínos, a principal preocupação é o aumento no custo de nutrição animal puxado pela alta do milho. Segundo levantamento do Rabobank, o custo de milho subiu 35% em março, quando os custos gerais com nutrição aumentaram 21%.

Fonte: Carnetec

Veja também

Tilápia brasileira avança no mercado norte-americano23/06 A tilápia é um dos peixes mais consumidos pelos norte-americanos e ganha cada vez mais espaço na mesa desse exigente consumidor. Segundo Francisco Medeiros, presidente executivo da Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR), está aí uma excelente oportunidade para o Brasil. “A tilápia caiu no gosto dos norte-americanos. Além disso, somente 5%......

Voltar para Notícias (pt)