EXPOMEAT
de 15 a 17 de Março de 2022

Em breve divulgaremos a nova data que está sendo negociada junto ao Pavilhão de Exposições Anhembi

Notícias

Postado em 28 de Abril de 2020 às 15h34

Demanda asiática sustenta ritmo de produção de carne suína brasileira

Notícias do Setor (664)
EXPOMEAT 2022 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal O ritmo de produção de carne suína brasileira neste ano está similar àquele observado há um ano, e...

O ritmo de produção de carne suína brasileira neste ano está similar àquele observado há um ano, e até superior em algumas regiões, impulsionado pela forte demanda chinesa, informou o Rabobank em relatório na segunda-feira (27).

Frigoríficos exportadores de carne suína continuam lucrativos dada a crescente demanda asiática e a desvalorização do real brasileiro, tornando o produto mais competitivo. Já os processadores de carne suína que vendem apenas para o mercado doméstico enfrentam dificuldades por conta da redução do consumo pelo segmento de restaurantes, como resultado das medidas de isolamento social para conter o coronavírus.

No estado de São Paulo, o principal afetado pela pandemia até agora, o Rabobank estima que o consumo em bares e restaurantes caiu 44% entre o fim de março e a segunda semana de abril. Já as vendas do segmento de varejo aumentaram 19%.

Apesar do cenário negativo no mercado doméstico, o Rabobank espera que a demanda asiática e o real desvalorizado continuem a gerar oportunidades para os frigoríficos exportadores brasileiros.

“Uma planta adicional de carne suína aguarda aprovação do governo chinês, o que deve ser anunciado até o fim deste ano”, acrescentaram os analistas do Rabobank no relatório.

Para os produtores de suínos, a principal preocupação é o aumento no custo de nutrição animal puxado pela alta do milho. Segundo levantamento do Rabobank, o custo de milho subiu 35% em março, quando os custos gerais com nutrição aumentaram 21%.

Fonte: Carnetec

Veja também

Lar planeja investir R$ 2,4 bi na avicultura e suinocultura paranaense até 202416/02 Até 2024, a Lar Cooperativa Agroindustrial e seus associados planejam investir cerca de R$ 2,4 bilhões na avicultura e na suinocultura do Paraná, informou a cooperativa na sexta-feira (12). O anúncio foi feito em encontro no Palácio Iguaçu, sede do governo do estado, pelo presidente da Lar, Irineo da Costa Rodrigues, ao governador Carlos Massa Ratinho Júnior e......

Voltar para Notícias (pt)