Notícias

Postado em 23 de Junho de 2018 às 12h42

Abate de suínos e bovinos sobe no 1º tri; de frangos cai

EXPOMEAT 2019 Os abates de bovinos e suínos no Brasil cresceram no primeiro trimestre do ano, ante o mesmo período do ano passado, enquanto o abate de frangos teve queda, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de...

Os abates de bovinos e suínos no Brasil cresceram no primeiro trimestre do ano, ante o mesmo período do ano passado, enquanto o abate de frangos teve queda, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na quinta-feira (14).

O abate de suínos teve o maior resultado para um primeiro trimestre desde 1997, quando o IBGE iniciou sua pesquisa, com abate de 10,72 milhões de cabeças. Houve um aumento de 2,3% na comparação com o mesmo período do ano passado e queda de 3,1% ante o quarto trimestre de 2017. Santa Catarina é o líder em abate de suínos do Brasil, responsável por 26,3% do total abatido.

O abate de bovinos subiu 4,4%, na comparação anual, para 7,72 milhões de cabeças. Em relação ao último trimestre de 2017, houve queda de 4,2%. A maior parte dos abates, o equivalente a 15,6% do total, ocorreu no estado de Mato Grosso.

O Brasil abateu 1,48 bilhão de cabeças de frango no primeiro trimestre, queda de 1,2% ante o mesmo período do ano passado e alta de 3,5% em relação ao trimestre imediatamente anterior. O Paraná é o maior estado em abate de frangos, com 31,5% da participação nacional.

Por Anna Flávia Rochas
Fonte: Carnetec

Veja também

Exportação de carne bovina sobe 19% no 1º trimestre, China lidera compras17/04/18 As vendas de carne bovina brasileira para o exterior tiveram um aumento de 19% em volume e 21% em receita no primeiro trimestre, em relacão ao mesmo período do ano passado, enquanto a China segue elevando suas compras e apesar do embargo russo, informou a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) na quinta-feira (12). O volume de exportações de carne......
C.Vale planeja investir R$ 300 milhões em 201906/02 A valorização dos grãos e o aumento do recebimento de soja compensaram a quebra da safrinha de milho pela estiagem e impulsionaram o faturamento da C.Vale em 23% em 2018. A receita bruta passou de R$ 6,9 bilhões para R$ 8,5......

Voltar para Notícias (pt)