Notícias

Postado em 16 de Fevereiro de 2017 às 18h05

Abate de vacas aumenta e pode atingir pico em fevereiro

O abate de vacas aumentou em fevereiro como consequência dos preços mais competitivos e maior oferta de fêmeas em relação aos machos, informou o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), que prevê que o abate de fêmeas alcance o pico neste mês.

“A maior participação das fêmeas no abate total ocorre geralmente em anos de queda no preço do bezerro e da arroba, cenário que vem sendo verificado neste início de 2017”, informou o Cepea em nota divulgada na quarta-feira (15).

O indicador Esalq/Bovespa para o preço do bezerro nelore de 8 a 12 meses em Mato Grosso do Sul acumula queda de 15,3% na parcial deste mês em relação à média do mesmo período do ano passado. Já o indicador do boi gordo no estado de São Paulo cai 10,3%, segundo o Cepea.

O aumento do abate também é justificado pelo fim do período reprodutivo, em que os pecuaristas conseguem identificar quais fêmeas terão bezerros e destinam as que não confirmaram prenhez para o abate, como forma de liberar áreas de pastagem.

Segundo os pesquisadores do Cepea, o maior abate de fêmeas neste momento poderá reduzir a oferta de bezerros a partir de 2018, com consequente diminuição na oferta de boi gordo para abate no ano seguinte e diminuição da oferta de carne no atacado.

Fonte: Anna Flávia Rochas - Carnetec

Veja também

Abate de suínos e bovinos sobe no 1º tri; de frangos cai23/06/18 Os abates de bovinos e suínos no Brasil cresceram no primeiro trimestre do ano, ante o mesmo período do ano passado, enquanto o abate de frangos teve queda, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na quinta-feira (14). O abate de suínos teve o maior resultado para um primeiro trimestre desde 1997, quando o IBGE iniciou sua pesquisa, com......

Voltar para Notícias (pt)