Notícias

Postado em 18 de Setembro de 2017 às 09h42

Brasil precisa ampliar exportações de carne bovina para a Rússia, diz Abrafrigo

EXPOMEAT 2019 Segundo nota divulgada pela Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) na sexta-feira (15), durante muito tempo a Rússia figurou na primeira colocação como o maior importador da...

Segundo nota divulgada pela Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) na sexta-feira (15), durante muito tempo a Rússia figurou na primeira colocação como o maior importador da carne bovina brasileira, porém, nos últimos anos, os negócios foram declinando e a China assumiu esta posição.

Aproveitando a participação brasileira na World Food Moscow 2017, realizada na semana passada, o presidente executivo da Abrafrigo, Péricles Salazar, manteve encontros com Sergey Yushin, presidente da Associação Nacional da Carne da Rússia, com a finalidade de ampliar as habilitações dos médios frigoríficos brasileiros para que estes também possam exportar para aquele mercado.

Em 2014, por exemplo, a Rússia importou 314.878 toneladas de carne bovina, ou 20,4% do total exportado pelo Brasil naquele ano. Em 2016, essas compras caíram para 138.784 toneladas e, em 2017, atingiram até agosto 103.445 toneladas, ou 11% da movimentação total.

“Desse encontro ficou claro que existem restrições de ambos os lados, do governo russo e do brasileiro, para a ampliação dos negócios e que os países precisam voltar a conversar para se chegar a um acordo”, disse Salazar na nota. “Há muita boa vontade na Rússia para com o produto brasileiro, mas, no momento, eles não estão habilitando mais ninguém para exportação por meio do seu Serviço Veterinário. O nosso governo precisa urgentemente voltar a conversar para verificar as arestas que impedem a elevação das vendas e mesmo as demandas russas sobre o tema”, concluiu o dirigente.

Fonte: Carnetec

Veja também

Crise de escassez de milho não se repetirá em 201712/01/17Milho suficiente e a preços compatíveis para agroindústrias da carne e para os produtores rurais garante tranquilidade ao agronegócio de SC em 2017 O mercado agrícola catarinense não viverá, neste ano, o drama da escassez acentuada de milho e o encarecimento da produção de carnes que, em 2016, derrubou a rentabilidade das indústrias de processamento de aves e de suínos. O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), José Zeferino Pedrozo,......
Frigol assume frigorífico em GO e torna-se o 4º maior do Brasil21/11/17 A Frigol S.A. anunciou na quinta-feira (16) a incorporação de unidade frigorífica em Cachoeira Alta (GO). Com isso, a indústria aumenta em 25% sua capacidade de abate de bovinos, atingindo 60 mil cabeças/mês e 180 mil......

Voltar para Notícias (pt)