Notícias

Postado em 18 de Janeiro de 2017 às 15h18

Exportações brasileiras de carne suína encerram 2016 com alta de 32% em volume

Confirmando o bom ano vivido pela suinocultura do Brasil no mercado internacional, as exportações do setor (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) totalizaram 732,9 mil toneladas em 2016, volume que supera em 32% as 555,1 mil toneladas embarcadas em 2015.

Com o forte desempenho dos embarques, a receita acumulada nos 12 meses de 2016 alcançou US$ 1,483 bilhão, saldo 16% maior em relação ao obtido no ano anterior, de US$ 1,279 bilhão. Os dados foram divulgados na terça-feira (17) pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), com nota em seu site.

“O excelente resultado das exportações ajudou a diminuir os efeitos da retração do consumo interno, impactado pela crise econômica brasileira. Neste contexto, foi altamente positivo o crescimento da participação de Hong Kong, da China e de países da América do Sul no total exportado, diminuindo a dependência sobre as vendas para a Rússia”, ressaltou Francisco Turra, presidente executivo da ABPA.

Considerando apenas o mês de dezembro, as vendas do setor alcançaram 50,9 mil toneladas, 9,8% acima das 46,3 mil toneladas registradas no último mês de 2015. Em receita, as elevações chegaram a 32,7%, com US$ 108,6 milhões – contra US$ 81,9 milhões de dezembro de 2015.

Principal destino das exportações brasileiras (com 33% do total), a Rússia importou nos 12 meses do ano passado 245,1 mil toneladas de carne suína, número 1% superior ao desempenho de 2015. Hong Kong, em segundo lugar (22,7% do total) foi destino de 164,2 mil toneladas, volume 33% superior segundo o mesmo período comparativo. Já para a China foram embarcadas 87,8 mil toneladas (12,1% do total), número 1.582% maior que o efetivado no ano anterior.

Outros mercados também se destacaram nas vendas do ano, como Cingapura, com 32,6 mil toneladas (+16% em relação a 2015), Uruguai, com 29,4 mil toneladas (+30%), Argentina, com 25,2 mil toneladas (+132%) e Chile, com 23,1 mil toneladas (+180%).

“Para 2017 temos boas expectativas quanto à continuidade do bom fluxo de vendas para o Leste Europeu, Ásia e determinados mercados da América do Sul. Ao mesmo tempo, é esperada para este ano a viabilização das vendas para a Coreia do Sul, cuja abertura de mercado está em fase final”, analisou Ricardo Santin, vice-presidente de Mercados da ABPA.

Fonte: Carnetec
 

Veja também

Crise de escassez de milho não se repetirá em 201712/01/17Milho suficiente e a preços compatíveis para agroindústrias da carne e para os produtores rurais garante tranquilidade ao agronegócio de SC em 2017 O mercado agrícola catarinense não viverá, neste ano, o drama da escassez acentuada de milho e o encarecimento da produção de carnes que, em 2016, derrubou a rentabilidade das indústrias de processamento de aves e de suínos. O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), José Zeferino Pedrozo,......
Frimesa 40 anos: pronta para novos recordes23/09/18 (Fotos: Arquivo Frimesa/Divulgação) Detentora da maior planta de abate de suínos do Brasil, com 6,9 mil cabeças abatidas por dia, a cooperativa do oeste paranaense se prepara para inaugurar outra unidade industrial ainda......
Frigol eleva vendas para a Rússia em 15% em 201607/02/17 A Frigol registrou um aumento de 15% nas vendas para a Rússia em 2016, na comparação com 2015, informou a empresa em comunicado na segunda-feira (6). “Foi um ano difícil para todos os setores, não apenas para o......

Voltar para Notícias (pt)