Notícias

Postado em 24 de Julho de 2017 às 11h40

Santa Catarina finaliza colheita de milho e tem safra 2016/17 de 3,2 milhões de toneladas

Notícias do Setor (189)

SC encerra colheita de milho com incremento de 17% na produção

Por Editores de CarneTec Brasil em 20/07/2017

Santa Catarina finaliza colheita de milho e tem safra 2016/17 de 3,2 milhões de toneladas. Como maior consumidor de milho do país, o estado comemora o incremento de 17,2% na produção do grão, fundamental para abastecer as cadeias produtivas de carnes e leite. A região com maior produção no estado é Joaçaba, com 630,2 mil toneladas colhidas, 42% a mais do que na última safra.

A região de Joaçaba é um exemplo do que vem acontecendo em Santa Catarina: para compensar a perda de área plantada para o cultivo de soja, os produtores catarinenses investem em tecnologias para aumentar a produtividade. Na safra recém-colhida, os produtores da região registraram média de 10,5 toneladas/hectare, 32,2% a mais do que na safra 2015/16, e muito mais do que a produtividade média do estado, que fechou em 8,5 toneladas/hectare.

"Santa Catarina é estado pequeno e com uma produção agrícola muito diversificada. Os produtores perceberam que o segredo está no uso de tecnologias para ampliar a produtividade e colher mais no mesmo espaço de terra. É incrível o que produzimos em apenas 1,12% do território nacional", disse em nota o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa.

Outro grande celeiro catarinense é a região de Curitibanos, que ampliou em 16,5% a produção e colheu mais de 239,5 mil toneladas na safra 2016/17. Os produtores da região colheram em média 11 toneladas/hectare, 21% a mais do que na safra anterior. O grande destaque da região é o município de Campos Novos, com 8 mil hectares plantados e uma colheita de 96 mil toneladas, um rendimento médio de 12 toneladas/ hectare.

O maior crescimento na produção aconteceu na região de Xanxerê. Os produtores colheram 41% a mais na safra 2016/17: foram 292,8 mil toneladas. Os 17 municípios da região destinam 28 mil hectares ao plantio do milho e tiveram um rendimento médio de 10,4 toneladas/hectare.

Os produtores da região de Campos de Lages também vêm se dedicando ao plantio de milho. A produção aumentou 13% na região e a safra foi encerrada em 264 mil toneladas. A produtividade média da região foi de 7,3 toneladas/hectare, 11,4% a mais do que na safra 2015/16 e um pouco abaixo da produtividade média do estado.

Aumentar a produção de milho é uma grande preocupação da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca. Destaque na produção de proteína animal, Santa Catarina é o maior consumidor de milho do país e o grão é indispensável para manter a competitividade do agronegócio no estado.

"Somos grandes produtores de suínos e aves e queremos manter esse setor consolidado em Santa Catarina, para isto precisamos de milho. Não existe suinocultura e avicultura sem milho", ressaltou Moacir Sopelsa.

Os números estão disponíveis no Boletim Agropecuário do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa) deste mês.

A safra de milho silagem, utilizado na alimentação de bovinos de corte e leite, teve um aumento de 18% em Santa Catarina. O estado colheu 9,5 milhões de toneladas de milho silagem na safra 2016/17. Com uma área plantada de 221,6 mil hectares, a produtividade chega a 43 toneladas de massa verde por hectare.

Sopelsa comemora ampliação da produtividade (Fotos: Reprodução / site da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca-SC)

Fonte: Carnetec

Veja também

Alegra fatura R$ 512,4 milhões em 201706/03 A Alegra, marca de carne suína administrada pelas cooperativas Frísia, Castrolanda e Capam, teve um faturamento de R$ 512,4 milhões em 2017, aumento de 38% ante 2016, segundo informações divulgadas pela Frísia. A unidade industrial de carnes que produz as carnes da marca Alegra, localizada em Castro (PR), gerou resultado líquido negativo no ano passado, mas houve......
Abates de bovinos em MT sobem 29% no 3º trimestre20/12/17 Os abates de bovinos em Mato Grosso, estado com o maior rebanho brasileiro, subiram 29,3% no terceiro trimestre, na comparação com o trimestre imediatamente anterior, para 363,6 mil toneladas, informou o Instituto Mato-Grossense de Economia......

Voltar para Notícias (pt)