EXPOMEAT
de 15 a 17 de Março de 2022

Em breve divulgaremos a nova data que está sendo negociada junto ao Pavilhão de Exposições Anhembi

Notícias

Postado em 06 de Janeiro às 09h13

Carne de frango tem recorde de competitividade em 2020

Notícias do Setor (667)
EXPOMEAT 2022 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal A carne de frango em 2020 teve recorde de competitividade em relação às carnes bovina e suína, segundo o Centro de...

A carne de frango em 2020 teve recorde de competitividade em relação às carnes bovina e suína, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

Entre 2 de janeiro e 28 de dezembro, as cotações da carne de frango avançaram menos de 9%, enquanto as de carnes bovina e suína subiram 35% e 32%, respectivamente, disse o Cepea em nota na semana passada.

“Em 2020, o menor poder de compra da população brasileira diante da crise gerada pela pandemia de covid-19 levou demandantes a migrar para proteínas mais baratas, como a carne de frango”, disse o Cepea.

Apesar dessa melhora na competitividade, os produtores enfrentaram fortes aumentos nos custos de farelo de soja e milho usados para a nutrição animal.

Esse cenário também foi enfrentado pelo setor suinocultor. Mas apesar da alta dos custos e dos impactos da pandemia sobre preços e consumo, fortes exportações colaboraram para sustentar as vendas do segmento.

O movimento de recuperação nos preços de carne suína começou em maio, após um período mais restrito de isolamento social para controlar a disseminação da covid-19. “O impulso veio das exportações da proteína, que bateram recorde (101,1 mil toneladas – em maio), e do aumento da procura interna”, disse o Cepea.

Essa demanda contribuiu para que os preços do suíno vivo e da carne atingissem recordes reais em setembro.

Intensas exportações também colaboraram para o desempenho do setor de carne bovina, principalmente devido às compras da China.

Os preços da carne bovina mantiveram-se altos, atingindo recordes reais em novembro. Frigoríficos exportadores obtiveram resultados favoráveis, considerando o dólar elevado e a demanda internacional no período. Já aqueles com foco apenas no mercado doméstico enfrentaram demanda por carne bovina um pouco enfraquecida em momento de preços recordes para a matéria-prima.

“Ressalta-se que, em boa parte do ano, a população brasileira esteve com o poder de compra enfraquecido, diante da crise econômica gerada pela pandemia de covid-19. Com isso, muitos consumidores migraram para proteínas mais baratas, como suínos, frango e ovos”, disse o Cepea.

Fonte: CarneTec

Veja também

Aurora investe R$ 28,6 mi na unidade industrial de suínos de Erechim02/03 A Cooperativa Central Aurora Alimentos – terceiro grupo agroindustrial de carnes do País – concluiu um conjunto de obras e melhorias na unidade de abate e processamento de suínos em Erechim (RS), voltadas para o conforto e o bem-estar dos trabalhadores. Essa é a segunda indústria a receber investimentos no município. Os investimentos na planta de suínos......

Voltar para Notícias (pt)