EXPOMEAT
É ADIADA PARA 2022

Em breve divulgaremos a nova data que está sendo negociada junto ao Pavilhão de Exposições Anhembi

Notícias

Postado em 04 de Novembro de 2020 às 08h43

Cenário para exportação de carne bovina continua positivo em 2021

Notícias do Setor (642)
EXPOMEAT 2021 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal O cenário em 2021 deverá continuar favorecendo as exportações brasileiras de carne bovina, disse o analista da...

O cenário em 2021 deverá continuar favorecendo as exportações brasileiras de carne bovina, disse o analista da área de Pecuária da StoneX, Caio Toledo, em webcast na semana passada.

“As exportações tendem a ficar positivas, principalmente por questões cambiais... acho que o câmbio deve continuar fortalecido”, disse ele.

O analista também estima que a demanda asiática continuará forte.

“Acho que o ano que vem vai ser muito parecido com o ano de 2020”, disse ele, acrescentando que atualmente o Brasil tem um teto de exportações para a China considerando o número de plantas habilitadas.

Neste ano, a desvalorização do real frente ao dólar vem colaborando para aumentar a competitividade da carne bovina brasileira nos mercados externos.

No mercado doméstico, o consumo aumentou durante o período em que o governo federal liberou o auxílio emergencial aos consumidores.

“Hoje o mercado doméstico aceita preço porque tem uma variável que é o impacto do auxílio emergencial nos preços dos alimentos”, disse Toledo. “O volume de dinheiro colocado na sociedade brasileira acabou impactando no preço de tudo, principalmente das proteínas.”

Com a liberação do pacote emergencial, houve uma certa troca no consumo de ovo pelo consumo de proteínas que o consumidor não estava podendo adquirir antes do auxílio.

“Os cortes que mais subiram foram os cortes mais baratos”, disse Toledo.

Com o fim do auxílio emergencial, o mercado também ficará atento aos impactos na demanda.

Toledo alerta que a China tem tentado baixar o preço pago por tonelada de carne bovina brasileira, embora continue comprando grandes volumes. Essa pressão por corte nos preços tem reduzido a diferença entre o valor da carne bovina que vai para a China e a que é vendida no mercado doméstico.

“Esse spread já fica até negativo em alguns cortes”, disse Toledo. “Isso, em algum momento, pode bater no volume exportado.”

Fonte: Carnetec

Veja também

Conveniência e segurança alimentar para uma nova era do varejo02/02 Não podemos negar que o período de isolamento social intensificou algumas transformações nos hábitos de compra de alimentos. Se antes da pandemia, a busca por conveniência já era grande, agora que enfrentamos uma segunda onda, as pessoas tendem a passar mais tempo em casa e querem opções cada vez mais práticas que atendam a sua nova......

Voltar para Notícias (pt)