21 A 23
DE SETEMBRO DE 2021

Das 14h às 20h

Pavilhão de Exposições Anhembi - São Paulo/SP

Notícias

Postado em 15 de Dezembro de 2020 às 11h48

Projeções mostram que setores devem fechar 2020 com números positivos

Notícias do Setor (294)
EXPOMEAT 2021 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal A produção, as exportações e o consumo per capita de carne de frango, carne suína e de ovos devem encerrar 2020...

A produção, as exportações e o consumo per capita de carne de frango, carne suína e de ovos devem encerrar 2020 com números positivos. É o que apontam os estudos e projeções apresentados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (09), por meio de videoconferência.

De acordo com o presidente da ABPA, Ricardo Santin, diversos destes números são recordes históricos. É o caso da produção de carne de frango, da produção e das exportações de carne suína, e da produção e consumo per capita de ovos.

“Apesar do momento altamente desafiador vivido neste ano, com custos em patamares históricos e os impactos econômicos e sociais causados pela pandemia, a avicultura e a suinocultura do País fecharão o ano com resultados positivos. Ao mesmo tempo em que apoiaram o abastecimento de alimentos do País em meio à crise, fomentaram novas oportunidades de trabalho e a economia de centenas de cidades onde estão instaladas, com impacto direto na economia nacional”, avalia Santin.

AVICULTURA (FRANGO) – De acordo com a ABPA, a produção brasileira de carne de frango poderá alcançar até 13,8 milhões de toneladas em 2020, alta de 4,2% em relação às 13,245 milhões de toneladas produzidas em 2019.

Já os embarques do setor poderão chegar a 4,23 milhões de toneladas, número comparativamente 0,5% superior em relação ao registrado no ano passado, com 4,214 milhões de toneladas.

Com isto, a disponibilidade total prevista para o mercado interno deve chegar a 9,6 milhões de toneladas, volume 6,3% maior em relação ao mesmo período de 2019, com 9 milhões de toneladas. O consumo per capita deverá chegar a 45 quilos em 2020, dado 5% maior em relação ao registrado em 2019, com 42,84 quilos.

AVICULTURA (OVOS) - Dobrando de tamanho ao longo da última década, conforme os levantamentos da ABPA, a produção de ovos deve alcançar 53,5 bilhões de unidades produzidas em 2020, número 9,1% superior ao registrado em 2019, quando foram produzidas 49 bilhões de unidades.

Já o consumo per capita do setor deverá alcançar 250 unidades neste ano, 8,7% a mais que o índice registrado em 2019, com 230 unidades.

SUINOCULTURA – Conforme os números levantados pela ABPA, a produção brasileira de carne suína poderá alcançar até 4,3 milhões de toneladas neste ano, número 8% superior ao alcançado em 2019, com 3,983 milhões de toneladas.

Já as exportações do ano deverão, pela primeira vez, superar a casa de 1 milhão de toneladas, com total previsto de até 1,03 milhão, número 37% superior em relação às 750 mil toneladas exportadas em 2019.

No mercado interno, a disponibilidade total poderá totalizar 3,3 milhões de toneladas, número até 2% superior ao registrado em 2019, com 3,233 milhões de toneladas. O consumo per capita deverá acompanhar o crescimento vegetativo da população, estabilizado em 15,3 quilos.

FATORES – Na avaliação do presidente da ABPA, assim como em 2019, a crise sanitária de Peste Suína Africana que impactou o rebanho suíno da Ásia, de parte da Europa e da África seguiu impulsionando as exportações brasileiras de aves e de suínos. “As nações asiáticas se consolidaram como principais importadoras das carnes de aves e de suínos do Brasil, e foram os principais vetores do resultado do ano nos dois setores”, explica.

Outro grande fator de impacto nos setores produtivos foi a pandemia de Covid-19. “No mercado interno, o programa de auxílio do Governo Federal foi determinante para a garantia de acesso às proteínas nos núcleos da população mais impactados pela redução da atividade econômica”, indica.

“No mercado internacional, os impactos no fluxo de passageiros retraiu a importação de grandes destinos islâmicos da proteína animal do Brasil, como os Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita, especialmente no auge da crise pandêmica nestes países. Com a diminuição dos casos e retorno gradativo do turismo nestas nações, temos observado melhora significativa na venda destes mercados”, completa o diretor de mercados, Luis Rua.

Fonte: ABPA

Veja também

Primeira semana de exportação de carne suína já bateu 62% do volume total embarcado em agosto/1911/08/20 Os primeiros cinco dias úteis do mês de agosto foram de negociações muito aquecidas para a exportação de carne suína. De acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Governo Federal, divulgados nesta segunda-feira (10), o volume embarcado nesta primeira semana do mês representa em torno de 62% do total exportado em agosto de 2019. Da......
BK Brasil diz que 75% dos restaurantes estão operando06/07/20 O BK Brasil, operadora das redes de restaurantes Burger King e Popeyes no Brasil, disse na quinta-feira (02) que 75% das suas lojas estavam operando, conforme as ações para retomada gradual das atividades. A empresa reduziu as......

Voltar para Notícias (pt)