21 A 23
DE SETEMBRO DE 2021

Das 14h às 20h

Pavilhão de Exposições Anhembi - São Paulo/SP

Notícias

Postado em 04 de Agosto às 11h49

Exportações da piscicultura brasileira crescem 33% no 1º semestre

EXPOMEAT 2021 A segunda edição do informativo sobre comércio exterior da piscicultura comprova as oportunidades de crescimento da atividade, com crescimento de 33% no índice de exportações brasileiras no...

A segunda edição do informativo sobre comércio exterior da piscicultura comprova as oportunidades de crescimento da atividade, com crescimento de 33% no índice de exportações brasileiras no primeiro semestre deste ano em comparação ao mesmo período de 2019.

A análise é realizada pela Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR) em parceria com a Embrapa Pesca e Aquicultura. Os números são da Comex Stat, portal de dados ligado ao Ministério da Economia.

“Esse avanço significou, financeiramente, um salto de US$ 4,1 milhões para US$ 5,5 milhões. A tilápia se mantém no posto de espécie mais exportada e é responsável por 86% da movimentação”, disse o presidente-executivo da Peixe BR, Francisco Medeiros, em nota.

“Precisamos destacar o preço médio da categoria tilápias inteiras frescas ou refrigeradas, que chegou a US$ 6,76/kg de abril a junho deste ano. Diferente de outros produtos que viram seu valor diminuir na comparação com o primeiro trimestre”, afirmou o presidente.

A lista de países importadores segue liderada pelos Estados Unidos, com US$ 926 mil, mas 49% a menos do que o registrado no primeiro trimestre do ano. “A justificativa para a redução se deve principalmente pela escassez de transporte aéreo, que encareceu muito o frete. Também houve o aumento da demanda interna brasileira”, explicou.

Medeiros lembrou ainda que o Chile se destacou como mercado importador, ficando em segundo lugar, seguido pela China. “O crescimento foi de 263%, número que marca o início das exportações para o país, concentradas apenas em óleos e gorduras. Financeiramente, foi responsável pela movimentação de US$ 368 mil. Já a China, em terceiro lugar, comprou US$ 195 mil em subprodutos que não são para consumo humano.”

Entre os estados que mais exportam, Mato Grosso do Sul permanece a frente apesar da queda de mais da metade das exportações no segundo trimestre, seguido por Santa Catarina, que somou US$ 417 mil, valor 49,7% superior ao registrado no primeiro trimestre.

“Os números nos mostram a capacidade e credibilidade da nossa atividade no mercado internacional. O caminho agora é aperfeiçoar nossos pontos estratégicos e melhorar o marketing dos nossos produtos de piscicultura”, disse o dirigente..

Fonte: CarneTec
 

Veja também

Filipinas reabre mercado para carnes do Brasil30/11/17 O mercado das Filipinas foi aberto às carnes de frango, suína e bovina do Brasil na sexta-feira (24), segundo informações da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). As vendas de carnes do Brasil para as Filipinas estavam embargadas desde setembro deste ano, sendo que até então 35 mil toneladas de carne de frango e 2 mil toneladas de carne......
Novo selo de qualidade de carne da raça nelore certifica primeira marca21/09/18 Nelore do Golias é a 1ª a receber o selo A Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB) certificou, no início de setembro, a primeira marca de carne nelore do seu novo programa de qualidade, oficializado pela......

Voltar para Notícias (pt)