09 A 11
DE novembro DE 2021

Das 14h às 20h

Pavilhão de Exposições Anhembi - São Paulo/SP

Notícias

Postado em 04 de Agosto de 2020 às 11h49

Exportações da piscicultura brasileira crescem 33% no 1º semestre

EXPOMEAT 2021 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal A segunda edição do informativo sobre comércio exterior da piscicultura comprova as oportunidades de crescimento da...

A segunda edição do informativo sobre comércio exterior da piscicultura comprova as oportunidades de crescimento da atividade, com crescimento de 33% no índice de exportações brasileiras no primeiro semestre deste ano em comparação ao mesmo período de 2019.

A análise é realizada pela Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR) em parceria com a Embrapa Pesca e Aquicultura. Os números são da Comex Stat, portal de dados ligado ao Ministério da Economia.

“Esse avanço significou, financeiramente, um salto de US$ 4,1 milhões para US$ 5,5 milhões. A tilápia se mantém no posto de espécie mais exportada e é responsável por 86% da movimentação”, disse o presidente-executivo da Peixe BR, Francisco Medeiros, em nota.

“Precisamos destacar o preço médio da categoria tilápias inteiras frescas ou refrigeradas, que chegou a US$ 6,76/kg de abril a junho deste ano. Diferente de outros produtos que viram seu valor diminuir na comparação com o primeiro trimestre”, afirmou o presidente.

A lista de países importadores segue liderada pelos Estados Unidos, com US$ 926 mil, mas 49% a menos do que o registrado no primeiro trimestre do ano. “A justificativa para a redução se deve principalmente pela escassez de transporte aéreo, que encareceu muito o frete. Também houve o aumento da demanda interna brasileira”, explicou.

Medeiros lembrou ainda que o Chile se destacou como mercado importador, ficando em segundo lugar, seguido pela China. “O crescimento foi de 263%, número que marca o início das exportações para o país, concentradas apenas em óleos e gorduras. Financeiramente, foi responsável pela movimentação de US$ 368 mil. Já a China, em terceiro lugar, comprou US$ 195 mil em subprodutos que não são para consumo humano.”

Entre os estados que mais exportam, Mato Grosso do Sul permanece a frente apesar da queda de mais da metade das exportações no segundo trimestre, seguido por Santa Catarina, que somou US$ 417 mil, valor 49,7% superior ao registrado no primeiro trimestre.

“Os números nos mostram a capacidade e credibilidade da nossa atividade no mercado internacional. O caminho agora é aperfeiçoar nossos pontos estratégicos e melhorar o marketing dos nossos produtos de piscicultura”, disse o dirigente..

Fonte: CarneTec
 

Veja também

Vibra anuncia investimento em Soledade28/04 A Vibra, uma das principais produtoras e exportadoras brasileira de carne de frango, anunciou a aquisição de uma nova unidade de produção no município de Soledade, Rio Grande do Sul. A operação ainda está sujeita à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). Como parte das estratégias de crescimento e......
China amplia compra de carne bovina brasileira15/12/20 Ao manter robustez, “China aumenta compras e exportações totais de carne bovina sobem 10% em novembro”, como aponta a Associação Brasileira de Frigoríficos (ABRAFRIGO). De acordo com a......

Voltar para Notícias (pt)